Relações entre justiça ambiental, ensino de ciências e cidadania em construções discursivas docentes

Autor

Angélica Cosenza, Laísa Maria Freire, Mariona Espinet, Isabel Martins

Atualmente, práticas de educação em ciências e educação ambiental vêm sendo chamadas a responder a uma formação com vistas à participação comunitária e à justiça social. Neste estudo, buscamos compreender como construções discursivas de professores(as) em formação continuada articulam determinados objetivos do ensino de ciências, sobretudo aqueles que dizem respeito às relações entre ciência e sociedade e cidadania à discursos sobre justiça ambiental e risco. As análises foram realizadas a partir da análise crítica do discurso e revelaram hibridização entre visões emancipadoras e outras que não envolvem dimensões de questionamento, participação e transformação social. Também problematizaram em que medida ambivalências presentes no discurso dos(as) professores(as) sinalizam a cooptação ideológica por discursos que não valorizam dimensões distributivas, participativas relacionadas à justiça ambiental. Finalmente, os resultados apontam para a necessidade de fortalecimento das relações escola-comunidade e da integração do trabalho curricular como possibilidade de alcançar objetivos comprometidos com práticas emancipatórias.